segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

HARMONIUM l' heptade (1976)

                         
                L"heptade
                           
                                    Eu queria entender por que esse disco esgotou rapidamente em seu relançamento em vinil nas prateleiras da finada loja “Other Music”em NYC ano passado, os hispters de plantão cataram todas as cópias! Mas ei que me deparo com uma edição nacional  perdida (isso, nacional!) lançada em 1978,  nos confins das prateleiras da Fígaro (loja de cultura) aqui em Curitiba. Trata-se de uma banda de Quebec, Canadá, que fazia folk e Art Rock com elementos de músicas progressivas. Lançaram apenas 3 álbuns de estúdio e um ao vivo, seus componentes resolveram terminar com o projeto por que achavam que já haviam dito tudo que queriam da melhor maneira possível. Como curiosidade, o grupo abriu concertos na Europa para o Supertramp tamanho o reconhecimento ao seu trabalho, mesmo sabendo que sua linha de atuação era mais pela arte do que comercial e  conseguiram em pouco tempo de existência conciliar esses dois parâmetros de forma sublime.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

TOM RUSH the circle game (1968)

                        

                              Tom Rush é um obscuro cantor de folk e blues americano que gravou esse álbum em 1968 com canções,dos pouco conhecidos na época, Joni Mitchell, James Taylor, Jackson Browne e algumas composições próprias, entre elas “No Regrets” que contou com versões do Luna, Fairport Convention, The Walker Brothers... Lançou pouco menos de 20 álbuns, alguns ao vivo, e outros entre os melhores álbuns de folk music sempre contando com ótimos músicos de apoio e um perfeito trabalho de produção.



sábado, 23 de agosto de 2014

Mixtape Volume 1


 01/ SUSAN CHRISTIE . ghost riders in the sky
02/ BRIDGET ST. JOHN . making losing better
03/ CHRISTINE PERFECT . i’m on my way
04/ JUDEE SILL . Jesus was a crossmaker
05/ ANNE BRIGGS . the time has come
06/ LINDA PERHACS . porcelain baked cast iron wedding
07/ CLAIRE HAMILL . warrior of the water
08/ SANDY DENNY . friends
09/ MELANIE . ruby tuesday
10/ DUSTY SPRINGFIELD . I close my eyes and count to ten
11/ AMERICAN SPRING . superstar
12/ KAREN DALTON . how did the feeling fell to you
13/ DEENA WEBSTER . hair of spun gold
14/ EVIE SANDS . I’ll never be alone again
15/ NICO . afraid
16/ MARY McCASLIN . jamie
17/ CATHY YOUNG . following in front
18/ KATHY McCORD . for you, child
19/ KATH BLOOM . come here
20/ JOEY HEATHERTON . say hello
21/ LORI BURTON . only your love
22/ MARIANNE FAITHFULL . sister morphine

sábado, 6 de julho de 2013

DARK round the edges (1972)


                           Round the Edges é uma pequena pérola psicodélica e única deste grupo de Northampton, Reino Unido. A sua primeira prensagem contava com apenas 60 exemplares e algumas variações como mudança da ordem das faixas, ou algo a mais incluso o que torna este álbum original raríssimo. As vezes com suas guitarras free style em contraponto com o baixo e bateria passando por momentos de calmaria ao caos lisérgico tornou este trabalho um meio termo entre o psicodélico e o progressivo. O grupo terminou logo as finalizações deste álbum, mas deixou uma obra raríssima e obrigatória .


domingo, 30 de junho de 2013

MELISSA midnight trampoline (1969)


Começaram em Sidney, Austrália como pop rock, mas caíram de cabeça no movimento Flower Power passando para um Progressivo folk acelerado no Blues e rock. sim, esta mescla de influências tornou seu som único misturando Bob Dylan, Yes e Van Morrison num dos melhores grupos obscuros Australianos dos anos 60.

sábado, 29 de junho de 2013

TODD RUNDGREN Runt: the ballad of Ted Rundgren (1971) - Something/Anything (1972)

                    Este álbum prima por um senso de humor, por hora negro como na capa, e destila um artista único com uma capacidade musical comparada a MCcartney e a estravagância visual de Elton John ou Bowie era Ziggy. algumas canções como a belíssima "Wailing Wall" acertam em cheio e outras passagens nos remetem aos anos 70 em que quase escorregam numa certa mesmice, mas consegue se manter e nos entregar um belo trabalho, claro, não supera sua perfeição de "Hello, it´s me" e nem o seu grande álbum abaixo, "Something/Anything? que lançou no ano seguinte, este sim um verdadeira obra-prima. 


sexta-feira, 21 de junho de 2013

THE GENTLE SOUL The Gentle Soul (1968)


The Gentle Soul 1 e 2

                      Duo formado por Pamela Polland e Ricky Stanley, este trabalho apesar de sair por um grande selo (Epic) é extremamente raro, eles lançaram um álbum apenas e um punhado de singles, neste long play participaram figuras ilustres como  Ry Cooder nas guitarras, e Van Dyke Parks nos teclados, Paul Horn nas flautas, Larry Knechtel (do grupo americano Bread) e foi produzido por Terry Melcher que havia trabalhado com os Byrds. The Gentle Soul  passeia entre Neil Young e Tim Buckley sempre entre o Soft Rock e o Folk e o duo nos brindou com um dos mais belos e obscuros trabalhos do final dos anos 60.